quarta-feira, 19 de março de 2008

eu sei...

talvez eu tenha pegado uma energia adormecida pelo tempo e o peso do cotidiano, no meu caso as vezes tão confuso e sem rumo. pois agora tenho uma esperança, misturada com uma libertação que me fez mandar tudo de ruim as favas. Sei que odeio a opressão de sonhos, a maldita violência racista da intolerância que exclui de varias formas, o vazio de luzes nesse tempo sombrio

Um comentário:

eu disse...

é bonito sonhar, é bonito ser brega, é bonito ser espontâneo.

e às vezes é bom viver.

conversa de bar, mesclando futebol e Henry Miller, Yo La Tengo e Audrey Hepburn, João, Maria e José.

momentos minúsculos e tão belos.
guardo aqui.