quarta-feira, 16 de julho de 2008

sp-01

chegando em sp vejo um horizonte quase inexistente, em meio a poluição torres residenciais que deixam cada vez mais menos visível o céu, ao lado de uma arquitectura de barracos em morros, calçadas. em meio a ilhas da fantasia das grandes corporações, vivemos, servimos... como diz o inimigo"trabalhe pra mudar e não se alienar"...

barracos de papelão onde vivem seres humanos com historias que se perderam na trágica fábula urbana...

Um comentário:

Maura Parvatis disse...

São Paulo é assim,desigual demais.